Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

11.000

Obrigado!
Share |

Proposta

Sejamos plausíveis e objectivos: o dia 5-10-1910, enquanto evocativo da implantação sangrenta da república, não nos lembra nada de bom ontem, hoje e amanhã.

Daqui faço a proposta: Que passe a ser o dia 5 DE OUTUBRO FERIADO PELA FUNDAÇÃO DA NAÇÃO, reportado a 1143!

Mais abrangente, consensual e correcto.
Share |

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Trolljegeren (The Troll Hunter)

Share |

“Inside Job”

Que a Monarquia Constitucional é o melhor sistema para representar e servir um País, disso não tenho a menor dúvida.
Porém, essa mesma Monarquia que preconizo baseia-se num formato liberal, progressista e aberto, à semelhança dos tempos em que os portugueses foram cidadãos de grandes epopeias e preenchiam, condignamente, altos patamares representativos no planeta. Não pretendo uma restauração da Monarquia, mas sim uma democrática reintegração desta por meio de uma refundação. Revejo-me no humanismo de um D. Pedro V, no liberalismo de um D. Carlos I e numa tenacidade e coerência pelos valores que preconizava de um D. Miguel I.

Acredito que a maioria dos cidadãos que tudo depositam no regresso de uma Monarquia são, pelas suas singulares capacidades e motivações, cidadãos à parte do rebanho instituído e assim os verdadeiros arautos de um Portugal melhor. Os cidadãos que querem um Rei (ou Rainha) como chefe de Estado são os novos pioneiros do regresso à verdade estatal. Não podíamos estar melhor representados na magnânima e bem intencionada pessoa do Senhor Duque de Bragança, bem como da Causa Real na pessoa do seu Presidente.
Share |

Aos olhos da comunidade internacional...

Atendendo àquilo que fomos até 1910 e também à forma sangrenta e inversa à vontade do povo como a república se instalou, uma mudança pacífica para uma Monarquia Constitucional, por referendo, seria, aos olhos da comunidade internacional, sobretudo a europeia, um sinal de progressismo e amadurecimento democrático.
Share |

Título propagandístico da última Lotaria Clássica:

«O nosso azar é o tempo passar tão depressa
A nossa sorte são os 101 anos da república»

...e que "sorte" (tem sido a nossa)!
Share |

Por João Ferreira-Rosa

No habitual registo sem meias verdades ou salamaleques...
Share |

A república como antítese deste claríssimo título:


Ora cá está a plena identificação...a frase, o título de uma vida!
Share |

O Império | A Globalização | Os Negociantes

O que mais nos caracterizou enquanto portugueses, enquanto Monarquia, foi a criação de um Império comercial. Esta realidade passada gerou, inclusivamente, no presente, uma tese doutoral (um Professor de Guimarães) que demonstra que fomos nós, e não os americanos, que criamos o conceito de globalização. Até ao norte-americano, todos os impérios “comércio marítimos”, subsequentes ao nosso modelo, foram “copy pastes” do português.
Share |

Criando um cenário de mero ensaio…

Imaginemos que Portugal era como uma família, uma grande família com muitos filhos. Assim, seriamos todos nós: continentais, açorianos e madeirenses.
Ora, faz sentido alguns filhos falarem mal do chefe dessa família (seja pai ou mãe), faz sentido uns gostarem dele e outros não?!
Infelizmente isso acontece na realidade e há filhos que não gostam (com ou sem motivo) do pai/mãe que representa a sua família. Asseguro com toda a certeza que essa será, certamente, uma família desunida e, assim, fraca e desmembrada.
A república, com as necessárias adaptações estatais, é essa família! Um pai (ou mãe) não é eleito…é nossa família portuguesa.
Share |

Os PR’s e o que o povo lhes liga...

Nem no Corvo…!? Nem sequer no Corvo?! Nem num território de 400 e tal habitantes?!
Ouvir ao minuto 10’20” do Noticiário Antena 1, de 23-9-2011, das 18H00
Share |

Fissura...

A república ainda não parou o seu processo de partir e separar tudo o que foi Portugal!
Share |

Na grande Academia conimbricense!

Share |

Os Clippers no porto da Horta

Share |

Julie London . "Cry Me A River" (1956)

Share |

Elle Fanning Ice Skating Scene

Espaço "Somewhere" (III)
Um dos meus apontamentos favoritos no cinema. Andei meses atrás deste "scene". Foi o melhor que se conseguiu encontrar...por ora!
A filmagem está com cortes e a preto e branco provavelmente por causa dos direitos de autor, mas dá para perceber a força desta cena do filme "Somewhere".
A Sofia tem este dom de transformar temas aparentemente em desuso ou menores e encaixá-los na perfeição nos seus filmes. Transforma-os por completo e para melhor! Pure beauty!
Via Alf!
Share |

The Strokes . "I'll Try Anything Once" (2010)

Espaço "Somewhere" (II)
Underwater tea Party...
Share |

Phoenix . "Love Like a Sunset" (2010)

Espaço "Somewhere" (I)
O intro do filme...fantástico!
Reavivar de memória via Alf!
Share |

Moloko . "Sing It Back" (1999)

Este sim um verdadeiro clássico dos nossos dias!
Share |

Washed Out . "Eyes Be Closed" (2011)

Adquiram!
Share |

Julian 'Cannonball' Adderley (Feat. Miles Davis) . “Autumn Leaves” (1958)

Porque começamos o Outono...
Share |

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

3 datas...

Hoje é dia de aniversário do nascimento de El-Rey D. Carlos e, curiosamente também, de sua mulher a Rainha D. Amélia.
Hoje faz igualmente 20 anos que falecia O Génio! Fica este tema dele para evocar estas 3 datas.

.
Share |

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Meia-Noite em Paris

Share |

Short note...

Em Monarquia vivemos a época dos Descobrimentos. Em república vivemos a época dos "Encobrimentos"!
Share |

Paralelismos sem paralelo

Na 1.ª página do caderno de Economia do Expresso, do passado dia 10 de Setembro, criava-se um paralelo comum entre D. Carlos, Salazar e Passos Coelho. No respectivo desenvolvimento, a pág. 9 daquele caderno, esse paralelismo foi (d)escrito por João Silvestre segundo o título: “Portugal A terceira pior depressão dos últimos 150 anos”.
Share |

Graciosa chegada...

Alguém reparou na "calorosa" recepção que os graciosences deram ao PR?
Mesmo num local onde os eventos abundam, hora à hora, como em Nova Iorque, ainda assim é de notar a "grande atenção" que foi dada ao mais alto representante da república.
Acreditem, este regime é mesmo uma falta de entusiasmo e os resultados vêem-se 100 anos depois... Os PRs não cativam, levam à discussão ideológica entre pais e filhos, são sectários e partidários. O povo, e bem, não se revê. A prova? R: o último nível de abstenções!
Share |

Paiva Couceiro...

....família que é sinónimo de grandes Homens: Henrique e seu neto Miguel!
Share |

Hopkinson Smith-Kapsberger . "Canario" (1611 ?)

Share |

DJ Shadow . "Scale It Back (feat. Yukimi Nagano of Little Dragon)" (2011)

O (grande) Shadow está de volta.
Brand new!
Share |

St. Vincent . "Marrow" (2009)

4AD product!
Share |

Paulo de Carvalho . “Flor sem tempo” (1971)

Share |

Washed Out (2011)

Quoting Alf:
"O sedativo da semana
O minuto 2:11 é absolut moka-chino
enjoy!"

Share |

Happy Mondays . "Hallelujah" (1989)

Hallelujah!
Share |

Devendra Banhart . "Carmensita" (2007)

Grande Devandra!
Juro que vi neste clip a Natalie Portman!
Share |

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

The Ward

...de Carpenter
Share |

Prémio Infante D. Henrique 2011

Isto não pára mais! Já faltou mais para voltarmos a ser nós...!
Nem é regime por ora, nem tem apoios milionários, mas conta com o respeito institucional, com o prestígio e com as apostas certas. As tais apostas de futuro. O real progressismo!
Share |

“A aproximação à fé de Luís Miguel Cintra”

«Para Cintra, essa ideia de Deus existirá também nas palavras:
“Acreditar em Deus é acreditar também numa parte misteriosa da condição humana. Não consigo dissociar as duas coisas. Deus existirá ou não na capacidade dos homens o pensarem e de lhe darem um verdadeiro sentido. O que me agrada no cristianismo é a ideia de que Deus se torna homem. Não tem forma, ao contrário dos deuses gregos, e toma a forma humana. A forma humana pôde, um dia, conter divindade. Isso para mim é fundamental porque diz que é do ser humano que parte a sua transcendência. E é a isso que se chama alma, porque o anima”»

In caderno P2, Jornal Público, de 9-9-2011, sob o título “A aproximação à fé de Luís Miguel Cintra”.
Share |

A estrutura...

«Não tento imaginar um Deus; basta-me permanecer em espanto perante a estrutura do Mundo.»

Albert Einstein (1879-1955).
Share |

Um desencanto e uns desencantados...

Àqueles que dizem que os cidadãos que querem um Rei (ou Rainha), como representante do Estado, vivem num "reino encantado", respondo-lhes que viveis numa república "desencantada"!
Share |

Só para não nos esquecermos…

Nas repúblicas chinesa, indiana, libanesa e outras similares, não há apenas trabalho escravo…há também muito trabalho literalmente animal (embora aplicado a seres racionais)!
E nós…?! Fomos os primeiros a abulir a escravatura! Mas esses eram outros tempos que, externos à república, éramos realmente progressistas e inovadores!
Share |

Outra Monarquia...

«B., aceito as (amizades no facebook – acrescento meu) porque (…) é uma forma de chegar às pessoas todas e mostrar que os monárquicos não são só toureiros, fadistas e militantes do CDS-PP».

Subscrevo na integra as sábias palavras contidas neste excerto da Dra. Aline Gallasch-Hall.
Share |

Apenas acrescentava: O resto foram meros desenvolvimentos e poucas as inovações estruturais! A república não trouxe vantagens, bem pelo contrário...

Share |

Boatos...?

Não sei se corresponde à verdade, mas ouvi que há presidentes da república que têm partido e, pior, que todos votam em partidos!
Não posso crer que seja verdade...
Share |

Um grande trabalho e um grande serviço prestado a Portugal por Miguel de Paiva Couceiro!

Share |

Porquê de novo a Monarquia Constitucional (de onde nunca devíamos ter saído), um regime novo, com absoluto e estrito cumprimento da magistratura mais elevada, com maior transparência e sem tiques de governamentalização da chefia de Estado?

R: «O PR gostava de repor o imposto sobre heranças e não queria limite de défice de Estado fixado numa norma constitucional. O Governo da coligação que o apoiou não lhe fará nenhuma das vontades.»
in Expresso 3-9-2011
Share |

A prova de Deus

«Se não se pode provar a existência de Deus, ainda menos se pode provar a sua inexistência. As provas e a sua refutação não mostram senão disto: um Deus provado não é Deus. Ele não será mais do que uma coisa no mundo.»

Karl Jaspers
Share |

Ortodoxo

«Somente a ortodoxia católica faz o homem feliz: é como os muros postos ao redor de um precipício onde pode brincar uma porção de crianças.»

Gilbert Keith Chesterton*

*Em uma de suas principais obras, Ortodoxia, defende os valores cristãos contra os chamados valores modernos, a saber, o cientificismo reducionista e determinista. Dono de uma retórica exemplar, coloca em debate crítico ideias como as de Mark Twain e Nietzsche.
Inglês, converteu-se do anglicanismo ao catolicismo.
Share |

Neste caso: ao lado de um grande homem uma grande mulher!

Share |

Diana Damrau as Queen of the Night II

Share |

Washed Out . "Amor Fati" (2011)

Share |

Cocteau Twins and Harold Budd . "Why do you Love me" (1986)

Share |

This Mortal Coil . "Another Day" (1984)

Share |

Bag Raiders . "Way Back Home" (2010)

Share |

Jay-Jay Johanson . "On The Other Side" (2011)

Brand new!
La Session France Info : Jay-Jay Johanson "On... por FranceInfo
Share |

Peter Gabriel . "Big Time" (1986)

«And I will pray to a big God
As I kneel in the big Church
(...)
So much larger than life
Big time»



Share |

Buscemi And The Michel Bisceglia Ensemble (feat. Isabelle Antena) . "Obrigado" (2008)

Share |

Orelha Negra . "Blessed" (2009)

No passado Sábado fui ouvir de Orelha Negra!
Made in Portugal!

Share |

Kurt Elling (Feat. Sydney Symphony Orchestra) . "Nature Boy" (2008)

AngraJazz 2011 também!
Share |

Madeleine Peyroux . "Half the Perfect World" (2006)

Share |

Rita Redshoes . "You Should Go" (2011)

Share |

Jazzanova . "Introspection" (2003)

Share |

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Rubber‏

Completely insane
Share |

Os Barões bem assinalados…

A Monarquia Constitucional e democrática cai em Portugal pelas mãos de um minoritário grupo que, inverso à vontade maioritária do povo, implanta um regime pela força das armas que até hoje perdura não auscultado pelos cidadãos. Durante estes últimos 100 anos, muitos mais tiros houveram…muitas mais crises perduram.
Share |

Antropologicamente pela “tribo”!

É com regozijo que assisto ao início, cada vez mais clarividente, da percepção sobre uma realidade: as repúblicas foram uma moda e como todas as modas duram pouco e desaparecem. Será da “crise”, conforme dizem as populações?! Não sei. Sei sim que algo está a mudar!

O indicativo mais forte vem da Líbia, onde as probabilidades de assistirmos à restauração de uma Monarquia, a mesma que foi abolida (também) pela força em 1969, são bastante evidentes. Naquele ano a Jamairia (República) Árabe Popular e Socialista da Líbia, muçulmana militarizada e de organização socialista, derrubou a monarquia do emir Sayyid Idris al-Sanusi, coroado rei com o nome de Idris I (1951-1969).
Share |

Para 'atualizar-me' às modas, pá…!

Em sintonia com a inovação introduzida pelo Acordo Ortográfico, devemos 'atualizar-nos' para contar histórias às nossas crianças de modo a proporcionar-lhes, à parte da realidade, um ambiente interessante, bonito e próspero da vida.
Assim, passaremos contar histórias "de encantar" de uma ou de outra forma:
a) “Era uma vez um presidente de república…”; ou
b) “Era uma vez uma filha de um presidente da república, que se chamava Isabel (dos Santos) e vivia num palácio muito luxuoso num país distante. Ela era muito, muito rica…”.
Share |

Sobre um dos nossos poucos Heróis | 14-09-2011

«Ah! Era o tempo em que os oficiais do exército, sabendo o que significava ter jurado a bandeira, atiravam com galões e soldo e partiam para a fome, levando só a honra...
A última página da epopeia da História portuguesa, tinham-na escrito essas centenas de homens que rodeavam o Comandante» [Paiva Couceiro ]

Tomaz de Figueiredo, "A Toca do Lobo"

Por Cristina Ribeiro aqui!

Clicar sobre a capa do livro para obter mais informações:
Share |

As cores legítimas...

No âmbito dos regimes constitucionais vigentes à data, a implantação da república portuguesa decorreu similarmente à implantação da URSS na Rússia!
Num caso mataram um pai e um filho pelas costas; No outro liquidaram toda uma família num descampado...às escondidas de todos.
A grande diferença: A Rússia recuperou as suas cores legitimas!
Share |

Comunismo, a sua materialização!

«O comunismo não resulta porque as pessoas gostam de ter coisas»
Frank Zappa
Share |

De que estamos à espera para concretizar, o mais depressa possível, o desígnio de Alexandre Herculano e chamar os nossos Reis de volta?!

Fonte - Real Colégio Nobiliárquico
Lido - Blogue FRP

«Ao Povo Português
Aos Povos dos Novos Países de Expressão Portuguesa
Às Comunidades de Raiz Lusa do Mundo Inteiro

Na véspera de Natal do ano findo, ao falecer o meu querido Pai, o Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança, encontrei-me investido na chefia da nossa Família e na Representação do Princípio Monárquico, sobre o qual a Nação Portuguesa se organizou, consolidou e desenvolveu, projectando no Mundo benéficos e valores indiscutíveis. Assim, por força de uma sucessão dinástica a que me sinto completamente vinculado, achei-me perante deveres recebidos de meu Pai e dos Reis de Portugal, nossos Antepassados, que a eles nunca se escusaram.

Sejam quais forem as circunstâncias, tais deveres não prescrevem pois constituem a justificação essencial do Princípio que represento; a Instituição Real explica-se por uma dádiva total ao País, para além da existência ou inexistência do Trono. Os Reis e os seus Herdeiros nascem para servir a colectividade e todavia, deve afastá-los da competição pelo Poder. Atentos à vontade do Povo, livremente expressa, poderá caber-lhes reinar, mas jamais disputar; explicam-se para unir, no Trono ou na vida mais discreta, no devotamento público ou na dedicação mais silenciosa. Se de tal forma procederem, serão sempre coerentes face à Realeza que detêm, independentemente do respectivo exercício.

Share |

Resolução do Parlamento Nacional de Timor que reconhece os altos serviços prestados à nação timorense por D. Duarte de Bragança

Em primeira mão foi aqui!
Share |

Lenga lenga de 100 anos...

Nenhum de nós conheceu outro comentário, acerca de Portugal, senão que somos: "pobres"; "os últimos da Europa"; "atrasados"; "estamos sempre em crise"; "improdutivos", etc.
Esta é infelizmente uma realidade, mas simultaneamente um legado do passado, do presente e para o futuro. Somos assim, a decrescer, há 100 anos. Capacitem-se que com o verde e o vermelho não sairemos disso...!
Share |

Alteração à Constituição

Também defendo este formato de alteração à Constituição, nos moldes em que propôs o Prof. António Barreto! No seu habitual registo estruturado!
Share |

Municipalistas...

Que se preparem os autarcas, do BE ao CDS, pois vem por aí um dos maiores ataques da república ao municipalismo que há memória!
O municipalismo tal qual foi criado, em estado puro em Portugal, logo na 1.ª Dinastia, os Reis (ou os chefes de Estado se preferirem) interagiam directamente com o povo por via dos respectivos representantes. Hoje seriam os autarcas... conforme o modelo preconizado pelo Senhor Duque de Bragança!
Share |

Pau torto...

Aqui encontramos, neste sucinto livro, o embrião da república.
É como diz o nosso sábio povo: “Pau que nasce torto…”
Share |

«É tempo de lutar pela Monarquia em Portugal»

Apanhei no FRP!
Share |

Põe-te em guarda...

Apesar da Monarquia ter ficado suspensa há 100 anos, ainda conheço uns quantos que, pelo seu testemunho de vida verdadeiro, afirmavam-me serem capazes de dar guarda (entenda-se a vida) pelo seu Rei. Aliás, nem era preciso eles me dizerem…eu apercebo-me disso neles.
Não conheci ninguém até hoje que fizesse ou sequer me dissesse o mesmo pelo presidente da república. Normalmente a resposta é sempre a mesma: “Eu dar a vida por aquele sujeito?! Estava mas era louco…!”

Correlação ao primeiro caso, apenas me surge aquela letra do Sérgio: “Que força é essa amigo…(…) ?»
Faria, portanto, a mesma pergunta do músico e respondia que: Não sei que força é aquela, mas que deve ser aproveitada…lá isso deve!
Share |

Stephen Malkmus & The Jicks . "Hopscotch willie" (2008)

Share |

Morton Subotnick . "Jacob's Room" (2010)

Uma das lendas da electrónica e do psicadelismo...
Share |

My Morning Jacket . "Touch Me I'm Going To Scream, Part 2" (2008)

Share |

A Winged Victory For The Sullen . "Steep Hills Of Vicodin Tears" (2011)

 A Winged Victory For The Sullen – Steep Hills Of Vicodin Tears by erasedtapes
Share |

Trentemoller. "Nightwalker" (2006)

Unofficial Video by this guy: K.O.ncrette.
Share |

Trentemoller . "Miss You" (2006)

Share |

Rumer . "Aretha" (2010)

Share |

The Suburbs . "Mr. Little Jeans (Arcade Fire Cover)" (2011)

Share |

Tennis . "Cape Dory" (2010)

Share |

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Share |

Algures num think tank...

R,
Pelas notícias que cada vez mais vão chegando (agora já é a Ministra do Trabalho da Sra. Merkel), o Federalismo está mais próximo. Infelizmente o cenário que venho delimitando para Portugal, desde 2009, infelizmente repito, está se afigurando certo.

Ou seja, o que vamos é a ficar a dizer adeus a Portugal tal como foi fundado em 5-10-1143, o mesmo que tanto gosto. O nosso Portugal e as nossas gentes. Se nada for feito pelas verdadeiras cores deste País, a república e o seu vermelho e verde fundados na Carbonária francesa, vão, finalmente, passados todos estes anos, conseguir o seu propósito maior: tornar Portugal um protectorado da Europa. Quem gostar disso...faça favor! Eu estou com aquele que não vota nem é eleito por partidos…desde 1143 a 1910!
Share |

Short note...

Vivemos uma crise de paradigma. Já não sei o que fazer mais para que se mexam.
Todos os dias eu me mexo...custa-me, mas mexo-me!
A república portuguesa arruinou Portugal e a dos EUA o mundo...já sem falar da França e da Alemanha!
Share |

Sem dúvida!

Com a crise que se criou na república e que por aí vem sobre nós...há que pensar nesta mudança a sério!
Quem avisa...
Share |

«Antes morrer livres que em paz sujeitos»

Ciprião de Figueiredo, corregedor de D. António I o Prior do Crato.
Só podia ter sido dito em Monarquia…daí incrustado no escudo dos Açores (da autonomia)!
Bom artigo Cristina Ribeiro!
Share |

Porquê o referendo o quanto antes...?

Encontrei e li no ciberespaço!

Neste contexto aqui ficam alguns argumentos de sintonia com os aduzidos no texto lido: 1 + 2.
Share |

Primal Scream . "Slip Inside This House" (1991)

Off their masterpiece Sreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeamadelica!
Share |

The Verve . "Already There" (1993)

Quando os tipos eram fora de série...
Foi no aludido ano que comprei o CD!
Share |

Cut Copy . "Lights & Music" (2008)

One of my favorites...
Share |

Tame Impala . "It Is Not Meant To Be" (2010)

Share |

Mo' Horizons . "Foto Viva" (1999)

Share |

Baroque Dance - Sarabande / Il Giardino Armonico (????)

Share |

Erwin Schrott . "Rojo Tango" (2011)

Como o sangue...
Share |

Ricardo Villalobos & Max Loderbauer . "Reblazhenstva" (2011)

Bom! Pela (grande editora) ECM!
Share |

Cults . "Walk At Night" (2011)

Muito interessante. Pondero adquirir!
Share |

Cansei de Ser Sexy (CSS) . "Hits Me Like A Rock" (2011)

Brand new, das brasileiras!
Elas cansaram-se...EU NÃO!
Share |

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!