Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

6000

O Incúria (como gosto de o chamar) agradece a todos quantos, ao longo destes 17 meses, o têm referenciado, visitado e, sobretudo, nele participado via comentários.

O n.º 5000 foi novamente atingido, à semelhança do milhar anterior, há sensivelmente 2 meses atrás. Normalmente o milhar operava à sua passagem ao 3.º mês. Desta feita foi pela 2.ª vez ao 2.º.

Tão elevado número em tão escasso tempo de existência, é significado e motivo de regozijo, motivação e sentido de aperfeiçoamento.

O Incúria espera ter tido, até ao presente momento, uma prestação útil.

Agradecimentos sinceros!


Share |

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Um fabuloso Natal e um melhor 2011!

Ella Fitzgerald . "Have Yourself A Merry Little Christmas" (1960)
Share |

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Short note...

Vi ontem no programa da Ellen DeGeneres uma convidada dizer algo do género referindo-se aos EUA: «(...) agora que temos o País falido...»

Pois é ...o pilar das repúblicas (de "sucesso") faliu de facto! Quem é o sucessor? A China! I rest my case...
Share |

Einstürzende Neubauten . "Feurio" (1989)

Die Dinge wurden süß. Let's move etwas mehr Lauge...
Als er Musikindustrie gehört. Das Album hier zu Hause...
Share |

Nightmares On Wax . "Les Nuits (1st. part)" (1995)

Share |

De La Soul . "Saturdays" (1991)

A CRP devia prever a prestação de vénia aos De La Soul, sempre que eles viessem a Portugal...!
Share |

Carlos Paião . "Pó de Arroz" (1981)

O que "é de arroz integral"...é bom!
Share |

Ladyhawke . "Paris Is Burning (Cut Copy Remix)" (2008)

Share |

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

«Na velhice ainda darão frutos»

«Depois da minha última crónica, li uma entrevista de D. Duarte Pio de Bragança em que este dizia que “daqui a pouco vamos ter a lei da liberdade da eutanásia com a interrupção da velhice. Quando uma velhice é incómoda, quando fica cara, quando é traumatizante para a família, ter aquele avô que custa caro, que incomoda toda a gente, que já está completamente tonto, não se pode interromper a sua velhice sem pedir a opinião do próprio”.

O herdeiro da Casa Real colocou o dedo numa ferida que se tende a manifestar num futuro próximo, uma vez que à discussão e aprovação do testamento vital se seguirá com a maior das probabilidades a discussão sobre a eutanásia, sem que as pessoas sejam devidamente esclarecidas do que está em causa, ou que lhes seja dito que os contornos desta figura transcendem na maior parte dos casos a situação daqueles que estão gravemente enfermos.»

Ler mais no JN (Soube via FRP)
Share |

domingo, 19 de dezembro de 2010

Short note...

Estes debates das presidências estão completamente agrestes. A falta de chama habitual. Rios de dinheiro gastos em campanhas dos partidos para eleger um pseudo representante (seu) do maior número de portugueses possível. Tudo para quê?! Para eleger, novamente, e como sempre foi, o mesmo presidente do mandato anterior. Mas andamos todos cegos?! Não vêem que por muitíssimo menos dinheiro, com mais chama e com a estabilidade que os portugueses pretendem…um Rei ocuparia bastante melhor o cargo, como foi nos sete séculos em que Portugal era bem melhor!?
Share |

Cocteau Twins . "Violaine" (1996)

Reminiscências...
Share |

Crue-L Grand Orchestra . "Mo'r" (1997)

Outra "orquestra" ainda...
Share |

Ursula Rucker (ft. M.A.D.) . "7" (2001)

Apresento-vos a poetisa nova-iorquina Ursula...
Share |

sábado, 18 de dezembro de 2010

Short note...

Debates das Presidenciais 2011: é sempre curioso ver os candidatos a representante de todos os portugueses a mandarem bitafes, de modo a arranjarem mais uns "votozinhos" para assim poderem "representar" mais algumas almas portuguesas...em desfavor dos rivais.

Perguntam: onde está a união que gera a força? Perguntam: porque andamos a esmorecer e a perder tudo de há 100 para cá...?
A resposta está subentendida no 1.º parágrafo...
Share |

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Alexander Nikolayevich Scriabin (interpretação Sviatoslav Richter) . "Etude Op. 8, No. 5 E major" (1894)

Share |

The Pink Panther

Fica a homenagem a Blake Edwards realizador e argumentista da "Pantera Cor-de-Rosa", que morreu esta quarta-feira aos 88 anos.
Curiosamente, face aos posts infra, era casado com Julie Andrews...
(Imagem de Henry Mancini)
Share |

Balla . "Montra" (2010)

Gosto do sampler de António Manuel Ribeiro, dos UHF, no seu habitual registo: ei ei ei iá ó lá lá lá...! ;-)
Share |

The sound of music...

Share |

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ateus com Reino…

-Divagações estrábicas-

Os ateus não acreditam no Reino dos Céus.
Os ateus acreditam no espírito das sensações humanas. A cultura é, normalmente, o meio para atingir esse patamar.
Então, nesse seu patamar “máximo” de refinamento, em que se criam as terrenas sensações “divinas”, ninguém melhor que eles, que num ilusório conto (apenas) humano, podem estar num reino. Em vez do Reino dos Céus, deixem-se fluir, ao menos, pelo reino da Terra com Reis, príncipes e princesas… É uma chance…
Share |

Zero 7 . "Passing By" (2004)

Sempre que passam...eu adquiro 1!
Share |

The Cinematic Orchestra (feat. Patrick Watson) . "To Build A Home" (2007)

Conheço esta "orquestra" há 11 anos!
Share |

sábado, 11 de dezembro de 2010

Manoel 102

Share |

Air . "Playground love" (1999)

Share |

Ian Brown . "Billy Jean" (2000)

Share |

Peixe:Avião . "Só eu te posso ajudar" (2009)

Made in Portugal. Uma alternativa portuguesa...;-)
Share |

4hero . "Star Chasers" (1998)

Este álbum, dos 4, sempre defini com uma palavra: requinte!
Share |

The Mike Flowers Pops Orchestra . "Light my fire" (1996)

Mike Flowers Pops é O cromo! Todavia, não é menos verdade que a qualidade da sua voz, enquanto crooner, é inversamente proporcional à sua "cromice"...!
 
 
Share |

Hefner . "Bubble Gun" (2000)

Queria o 10 mas não encontrei nos "tubes". Ficou o 5 do "Residue"...
Share |

His Name Is Alive . "The Well" (1991)

Foi o primeiro CD que comprei, tendo isso acontecido em 1992. O resto era sempre em vinil...

Share |

Depeche Mode . "It's No Good" (2006)

Share |

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O Manifesto da realidade

Essa ideia colectiva de passado de que, quando tínhamos reis, era tudo fantástico, épocas em que os portugueses eram os maiores e melhores do mundo, em que foram Descobertas, ouro, diamantes, dinheiro, riqueza, prosperidade, avanço e progresso em direitos do homem, na verdade não foram lendas maravilhosas de príncipes e princesas. Foram factos! Existiu mesmo meus caros!

Na Noruega, na Austrália, na Nova Zelândia, no Liechtenstein, na Holanda, no Canadá, na Suécia, no Japão, na Bélgica, na Dinamarca, na Espanha, na Inglaterra, etc, ainda é assim. Estão todos mais prósperos presentemente que nós.

Hoje com a república estamos mal, nunca mais fomos os mesmos, pior…esquecemo-nos de quem fomos. Estamos a perder literalmente tudo o que construímos até 5-10-1910. Hoje residimos em novas trevas de pessimismo e descrença no futuro.

Digo-vos, contudo, que ainda é possível encarreirar no melhor trilho, aquele que nos caracterizava como portugueses positivos, abertos e prósperos. A verdadeira democracia é a chave: INFORMAÇÃO –» CONHECIMENTO –» REFERENDO –» VOTAÇÃO –» RESTAURAÇÃO!
Share |

Os Três Imperadores

Share |

O Americano

Do mesmo realizador de "Control"
Share |

Tosca . "Rosa (Rodney Hunter Version)" (2010)

Share |

Peace Orchestra . "Who Am I?" (1999)

Conheço esta "orquestra" há 2 dias!
Share |

Rodney Hunter . "No Stoppin" (2007)

Share |

LTJ Bukem . "Inner Guidance" (2000)

With LTJ the "progression" was always "logical"...!
Share |

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Felizmente ainda temos a nossa Rainha...!

É neste dia que, apesar do regime implantado, recordo a certeza de continuarmos a ter uma RAINHA! Viva à nossa sempre RAINHA! A Coroa é só dela enquanto existir um português!

Obrigado senhor D. João IV!
Share |

Warpaint . "Elephants" (2009)

Depois de ver este vídeo dos Warpaint, apetece-me aprender a tocar bateria...!
Share |

Tim Burton's "Nightmare Before Christmas" (1993) - "The Final scene - Jack and Sally"

Para aproveitar ainda antes do...Natal!
Share |

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O Portugal que temos…

1 de Fevereiro de 1908 - O Rei D. Carlos e o Príncipe Real D. Luís Filipe foram brutalmente assassinados pela Carbonária.

14 de Dezembro de 1918 - Sidónio Pais era abatido por José Júlio Costa.

19 de Outubro de 1921 - O primeiro-ministro António Granjo, Machado dos Santos e José Carlos da Maia, foram mortos por marinheiros, que os foram buscar às suas próprias casas e os conduziram, numa camioneta, até ao local do abate.

13 de Fevereiro de 1965 - O General Humberto Delgado era assassinado pela PIDE.

4 de Dezembro de 1980 - «O avião onde seguiam, entre outros, o primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro e o ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa despenhou-se em Camarate.*»

Eram assim elencadas cronologicamente uma série de mortes de figuras do Estado português, num artigo escrito, na Revista Única, por Ricardo Sá Fernandes.

Concluía o articulista que teriam todos aqueles acontecimentos um traço comum:

«- Primeiro, lograram liquidar líderes políticos impares, algumas das personalidades mais fulgurantes do século XX português, que, continuando vivas, fariam a diferença.

- Segundo, evidenciaram que a razão de Estado, a inércia, a teia de cumplicidades estabelecidas, o conformismo e a cultura do ‘abafanço’ venceram sempre a justiça, que não foi capaz nem de esclarecer os factos ou punir os principais responsáveis dos crimes cometidos.

Triste sina.»

Apenas acrescentava, às conclusões de Ricardo Sá Fernandes, mais um elemento que corre paralelo com todas aquelas mortes: república.

Fonte – Revista Única*, de 27/11/2010, páginas 48-50.
Share |

Aphex Twin . "Jynweythek" (2005)

Share |

Roger Neill . "Concerto In G" (Marie Antoinette - Original Motion Picture Soundtrack) (2006)

Share |

Crocodiles . "Sleep Forever" (2010)

Share |

Ian Brown . "Thriller" (2009)

Diz que o álbum "My Way" foi inspirado por um outro álbum de Michael Jackson: "Thriller".
Share |

Maria Callas . "Casta Diva" (1957)

Share |

Phoenix . "Everything Is Everything" (2004)

Share |

Hollywood Mon Amour (performed by Nadeah) . "Together in Electric Dreams" (2008)

Colectânea de vários artistas...
Share |

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Two Door Cinema Club . "I Can Talk" (2009)

Nice video!
Share |

Súbitos...(II)

Depois dos roubos que a república fez aos bens próprios dos Bragança, criou-se, com um período de 100 anos, a impossibilidade material e concreta dos seus herdeiros poderem hoje suportar as benfeitorias sobre tamanho património.

Assim, em caso dos Bragança voltarem a ser casa reinante em Portugal, restaria a fórmula de suporte estatal à Família Real, situação que, por culpa do actual regime, transformaria os Reis de Portugal mais súbditos dos nossos impostos que nós deles, situação que, tendo sido parcialmente evitável, infelizmente seria a mais enquadrável. Declaro, contudo, e desde já, que não me importaria de comparticipar, com dinheiro dos meus impostos, para uma nova Instituição Monárquica vigorante a quem tanto devemos!
Share |

Mário Crespo entrevista S.A.R., D. Duarte de Bragança

A entrevista ocorreu na SIC Notícias, foi um agradável e interessante debate de ideias, distinto do habitual negrume republicano...já absolutamente estéril. Melhor não poderia ter decorrido, entre dois homens que nutrem elevado respeito mútuo, conforme se verifica nas imagens. 
Assim a entrevista, das melhores que vi envolvendo o Senhor D. Duarte, ficou registada em 1, 2 e 3 partes.
Share |

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

1 de Dezembro: sempre e cada vez mais monarquia...!

O dia 1 de Dezembro de 1640 é um dia fundamental na História de Portugal. Ainda hoje é um dia fresco e marcante, não tanto pelo derrube do Rei de Portugal da altura, Filipe III, mas sim pela acção (ou reacção) e revolta em nome da liberdade e da autodeterminação da Cultura de um povo. D. João de Bragança, homem que não ambicionava ser Rei, era chamado a ser Rei...e foi! É normalmente quando as coisas correm melhor, quando são chamados e não se fazem chamar. Escusado será dizer que, à parte de um estreio leque de ‘nobres’ Nobres portugueses, visto que a maioria estava com Espanha, foi o povo que mais apoiou as intenções dos Conjurados.

Saliente-se que o jantar de 1 de Dezembro, que todos festejamos nas nossas regiões, não é apenas para celebrar a Monarquia. É mais do que isso! É para comemorar a liberdade e a união deste povo (específico) que é o português. É um jantar aglutinador, inverso à separação de credos, religiões, classes, raças, partidos, ideologias, etc. É o jantar na presença do Rei, à semelhança do que é entoado na canção do Cid. Não é um jantar para algumas classes. É um jantar para todos e em alegria. Em Lisboa chega ao milhar de participantes. Só elites…? Obviamente que não!


Hoje esta união deve ainda ser maior que em 1640. Naquela altura, melhor ou pior, o início da dinastia Filipina, por Filipe de Habsburgo e Avis, também Rei de iure de Portugal, pode ter sido iniciadora de uma certa castração de direitos lusitanos, mas, ainda assim, era um Rei e seus dois descendentes também. Saliente-se que, em certa medida, Filipe I, o homem mais poderoso do seu tempo, herdeiro do Imperador Carlos V, gostava de Portugal e era português pelo lado materno. Inclusive nos finais da sua vida passava longas temporadas em Lisboa, quiçá porque gostava mais deste lado…? Os Habsburgo sempre souberam respeitar as fronteiras e a respectiva nomenclatura titular real, ao contrário do conceito anti patriótico a que se designa Iberismo. Julgo importante frisar esta ideia, pois sempre serão realidades distintas! Os Habsburgo deixaram-nos também importante Direito plasmado nas Ordenações Filipinas.

Hoje, conforme dizia, a união entre os portugueses deve ser maior que no século XVII. O abismo que se designou por “crise”, anda à espreita e vai-nos fazer mal. Autodeterminação?! Essa já há muito perdemos para o actual modelo vindo de Bruxelas e imposto pela Alemanha. A França é a nossa jacobina madrasta que nos “orienta” desde 5-10-1910, por meio de uma república incapaz e descaracterizante. O inimigo, esse, anda pois mais encapotado, dissimulado e espalhado. Corrói a república e a nós também...e nem damos por isso.

Face aos moldes do século XXI, a nossa tarefa é bem mais complexa que a de D. João IV…! Compete-nos usar as armas da democracia e, com muito empenho e interesse, lutar. Lutar: escrevendo, divulgando, informando, comunicando, dando a cara, etc, etc. Essa é a nossa luta hoje por um Portugal bastante melhor! Um Portugal de progresso com um Rei que se importe a tempo inteiro com o seu povo, um povo que nunca o esqueceu.
Share |

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!