Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Florence Foster Jenkins


Share |

Em França

Sempre existiu um forte foco lá:

Apoio à Monarquia cresce em França.

Share |

Faustosidades

«(...)
Trabalhar nunca me fez bem nenhum
Mas é melhor que ver o tempo a passar
(...)

Minha mãe só te quero lembrar
Até morrer, no peito, eu vou-te levar
(...)»

Capitão Fausto, "Morro na Praia", 2016.

Share |

José Rodrigues | Escultura | In Memoriam

Um dos homens maiores da escultura em Portugal.

Guardo bem uma obra sua, como aquela peça que marca uma vida.



Share |

Tão simples


Share |

Above All

«Love above all particular principles or rules.»

In Situational Ethics – Christian forms of situational ethics

Share |

First Class

«You don't look first class, you.»

Happy Mondays, in ‘Holiday’, 1990.

Share |

WEEK SOUNDZZZzzz!


Happy Mondays, o nome da (grande) banda de Salford, Manchester, é uma chalaça com a canção "Blue Monday" da banda conterrânea New Order…pois era preciso o reverso da medalha. Nunca queiram ter uma “segunda-feira azul”.

Made in Portugal.

Share |

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Café Society


Share |

Síria

A questão da Síria não se trata de saber quem são os bons e quem são os maus. Não. Na Síria importa saber, apenas, quem são os menos maus.

Chegados a este ponto, estou medianamente convencido que os menos maus reportam-se às forças governamentais do Presidente Bashir al-Assad. Os outros, incluído o Isis, são muitíssimo piores.

Resta saber até onde a administração Obama, que inequivocamente não gosta de Assad, terá ido nas eventuais manobras de tentar o derrube do chefe sírio…

Os russos, que não são santos, nesta matéria, parecem-me, apesar de tudo, que estão do lado certo.

Share |

Quando a república Protegeu a Rainha

Aquilo que os republicanos desdenharam, mal trataram, destruíram e, acima de tudo, tentaram apagar com uma bandeira, foi tão-somente o passado e a origem de um povo: a sua monarquia.

Recentemente muitos criticaram o deputado da madeira por manifestar-se na Assembleia Regional com uma bandeira do Daesh. O repúdio é óbvio, tratava-se de uma bandeira terrorista.

Todavia, como qualificar a manutenção da atual bandeira da república que, não traduzindo as cores originárias do nosso País, transpõe inegáveis semelhanças do estandarte da Carbonária, ou seja de um movimento terrorista que matou em Portugal?

Curiosamente, foi aquela bandeira - a republicana, em determinado momento, a proteger a Rainha contra perigosos invasores, mais concretamente quando, nos anos quarenta do século passado, D. Amélia se escusou em deixar a França para ir para Portugal, aquando das invasões alemães nacionais-socialistas, pois entendia que naquele país era mais precisa.

A república portuguesa como país neutral na II Guerra Mundial impedia, por intermédio da sua bandeira içada no Chateau de Bellevue, a entrada dos alemães onde vivia a Rainha.

A Rainha não ignorou essa realidade. De registar que, no seu enterro, aquela mesma bandeira, que uma vez estivera no Castelo, envolveu a sua urna.

Em suma, e apesar das consequências que a Família Real sofrera pelos republicanos, facilmente se conclui que a instituição monárquica, colocando sempre o País em primeiro lugar, não desdenhou, não mal tratou, nem destruiu ou tentou sequer apagar aquela bandeira, que apesar de ter sido imposta aos portugueses, por um lado, não deixava de ser representativa, por outro, de Portugal.


Share |

Lipipi

A prova da intimidade e da ligação humana das personalidades reais, portuguesa e britânica, resultava, inequivocamente, da forma como a Rainha Vitória de Inglaterra chamava o Rei D. Luís I. Não pelo seu nome, mas por aquele diminutivo familiar de criança.


Share |

Nada de Bom, Garanto

A ler sobre a ética republicana.

Share |

In memorian

Morreu, este mês, a antiga Rainha Ana, da Roménia, aos 92 anos, num hospital, na Suíça.

Share |

Pseudo Melhorias

«A pseudo melhoria nas crianças, como não terem doenças típicas da infância, resultou em mais doenças autoimunes e em adultos menos saudáveis.»

Maria do Carmo Fonseca, Diretora do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa.

In Expresso, Primeiro Caderno - Saúde, de 6 de agosto, pág. 23.

Share |

Team Work

Quando se atua de forma mais egoísta, é ver o Cristiano Ronaldo coxo e em lágrimas de contente com o golo que o seu suplente, Éder, marcou.

Share |

Posições

Pela primeira vez estou de acordo com o Rui Vitória. Ele arranjou a posição mais adequada para o André Carrillo: o banco.

E não é que até resulta.

Share |

FCP

Para ganhar em Roma, aos romanos, recomendo, vivamente, um produto que no passado se revelou eficaz: poção mágica dos gauleses!

Parece-me a hipótese mais viável.

Share |

WEEK SOUNDZZZzzz!


Brand new!
Não resisti em publicar. Num mundo que perde, a cada dia, a ótica da elegância, os ABC insistem, e muito bem, na fórmula. Coerência. É uma ‘dance song’…as usual. Glam pop is back.
Apraz-me um só comentário final: fieis a si próprios, postura vertical.



O outro dia vi um documentário sobre a vida da Madonna.
Após ver, cheguei a uma conclusão: o Sean Penn que supostamente gosta de transparecer a ideia de bad boy, perto dela não é. Desvanece. Ela é gigantesca perto dele. Muita prosápia…





Share |

sábado, 6 de agosto de 2016

Barry Lyndon


Share |

Dois Prismas - O Religioso e o Secular

Muitos espumaram para que o Sumo Pontífice viesse tecer duras críticas sobre a forma hedionda que o padre francês foi morto.

Além do padre ter sido morto, muito provavelmente, por aquilo em que acreditava, Francisco não acrescentou muito mais além daquilo que Pedro, já como chefe da Igreja, disse após Cristo ter sido humilhantemente morto, não descurando que Cristo para alguns, como eu, era/é o Deus vivo.

Talvez seja difícil alguns entenderem isto, mas é assim. Não se trata “da outra face”, trata-se sim, em sentido estrito, da resposta de Pedro e dos apóstolos, durante anos e anos, após a crucificação: paz, amor, evangelizar, etc…mesmo que tenhamos de morrer por isso.

Relembro que João Paulo II quando, em 13 de maio de 1981, foi gravemente ferido por Mehmet Ali Ağca, numa tentativa gorada de assassinato, a primeira coisa que fez publicamente, após estar minimamente restabelecido, foi perdoar o seu agressor. Resultado, Mehmet converteu-se, julgo que em 2000, ao catolicismo e em dezembro de 2014, trinta e três anos após o crime que cometeu, voltou ao Vaticano e depositou rosas na tumba do Papa João Paulo II.

Contudo, e sem prejuízo do que foi aqui expresso, coisa bem diferente é a resposta que, do prisma civil, das autoridades e dos políticos ocidentais, tem de ser produzida, focada na segurança dos respetivos valores, mormente os da liberdade e da autodeterminação. Na minha ótica a solução encontra-se na lei, havendo a necessidade de criar novos padrões legislativos de modo a reduzir, ao máximo, o espaço de atuação dos extremistas que denigrem o Alcorão e envergonham o profeta Maomé todos os dias.

Share |

Isso num País em que as vacas voam e os cravos bem como os subsídios caiem do céu…

Retive esta frase de António Rendas, Reitor da Universidade Nova de Lisboa, aquando da entrega dos prémios de Jornalismo Económico, proferida no passado dia 14 de julho ainda no contexto da conquista do Euro em França:

À «(…) semelhança do futebol, a máxima ‘sofremos para ganhar’ aplica-se a todo o país.»*

*In Expresso, Caderno de Economia, 16/7/2016, pág. 31.

Share |

Soluções

Quando um dia não corre assim tão bem, (re)vejo o golo do Éder.

Share |

Só para Relembrar

No xadrez a Rainha protege sempre o Rei.

Share |

Lido na VER em Contexto de Empreendedorismo

"Com ou sem Pokemon, let’s GO".

Share |

StartUp

O desafio das StartUp não é tanto o 'start'. É mais o 'middle' e o 'end'.

Share |

Meios de Transporte

Tanta celeuma com o Fernando Rocha Andrade, quando tantos de nós precisamos da GALP para nos deslocarmos.


Share |

Proteção

Vou dizer às finanças que uso protetor solar. Serve?

Share |

Barrigas de Aluguer

Tendo o Presidente da República católico aprovado o diploma, o BLOCO DE ESQUERDA conseguiu:

--» Produzir mais negócios em Portugal e o Capitalismo agradecer.

Business dynamics!

Share |

Para Melhor

Na Roménia, onde o regime republicano se fez sentir de forma especialmente expressiva e dramática, materializado no comunismo, a esperança numa mudança para um contexto melhor parece caminhar a bom passo.

Fonte - El Mundo.

Share |

Sobre uma Grande Mulher

Desconheço alguma mulher que, dadas as especiais responsabilidades de que estava incumbida, tenha sofrido tanto como a Rainha de Portugal, D. Amélia, sofreu.

Todavia, fez do dever o primado sobre o seu próprio sofrimento, “além das forças humanas”, como corretamente qualificou ao Bispo-Conde de Coimbra, terminando a sua vida, e apesar de todas e das mais diversas agressões passadas, mantendo sempre sua mais nobre e mais genuína faceta revelando: “Quero bem a todos os portugueses, mesmo àqueles que me fizeram mal.”

A nobreza de Amélia era evidente e fortemente emanada dos seus sentimentos e do seu caráter e não somente do facto de ter sido Princesa e Rainha. Amélia de Portugal não era uma mulher de ficar apenas pelas palavras, como mulher de ação nunca hesitou, por exemplo, em arriscar a própria vida para salvar quem estivesse em dificuldades, fosse quem fosse:

«Um dia em Cascais ia a passear quando viu que um barco tinha-se afundado, o marinheiro era velho e estava atrapalhado, estava a gritar e a morrer e ela, que estava vestida, deita-se à água, nada - ela era uma grande nadadora, e vai ao barco e trás o pescador. Salvou-lhe a vida.»

Aconselho, vivamente, a ver este episódio n.º 53 d’ “A Alma e a Gente”.

Share |

África Irmã

Na Guiné-Bissau.

Share |

Quadra

«Eu desejo-vos tanto bem,
Que outro bem maior não vejo.
Só não sei se o mundo tem,
Tanto bem quanto eu desejo.»

Quadra popular portuguesa.

In “A Alma e a Gente - II #53 – ‘D. Amélia, A Última Rainha de Portugal’ - 01 Jan 2005”

Share |

WEEK SOUNDZZZzzz!


Made in Portugal.


Share |

sábado, 23 de julho de 2016

7 ANOS



Share |

Milagre no Rio Hudson


Share |

Acordo Ortográfico

Sem prejuízo das etiquetas já previamente constituídas, cujas redações se manterão, comunica-se que, a partir da presente data, os textos do blogue serão redigidos conforme o novo acordo ortográfico em vigência.

Share |

Fernando Pessoa, Apontamentos à sua Nota Biográfica


Fernando António Nogueira Pessoa foi, eventualmente, o maior intelectual português. “Nasceu em Lisboa, freguesia dos Mártires, no prédio n.º 4 do Largo de S. Carlos (hoje do Directório) em 13 de Junho de 1888”. Era filho de Joaquim de Seabra Pessoa e de D. Maria Madalena Pinheiro Nogueira, sendo seu avô paterno o general Joaquim António de Araújo Pessoa, combatente das campanhas liberais.

Share |

Gonzalez e os Outros

Felipe Gonzalez, antigo líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e primeiro-ministro de Espanha entre 1982 e 1996, homem da congregação democrática em Espanha, monárquico e amigo pessoal do anterior Rei, continua a sua intrépida luta pela união do Reino. Quando muitos afirmam o seu patriotismo, ou seja colocarem a Nação à frente de qualquer interesse, e não o fazem, Gonzalez não só o pratica como reforça certezas acerca da sua inquestionável categoria como político sério e que, também à semelhança de Guterres em Portugal, confirma que é um dos escassíssimos socialistas de referência na Europa e no mundo.

Share |

Machadadas

Muitos pensaram que o Ted Cruz fosse “enterrar o machado de guerra” na Convenção.
Isso de certo modo aconteceu, só que fê-lo nas costas de Trump.

Share |

Aspetos do Domínio Feminino, Só Pode

No caso do plágio de Meredith McIver, o que mais me intriga é como houve alguém que ainda conseguiu concentrar atenção no discurso.

Share |

Poesia Absolutamente

Filosofia sim. Romance e narrativa menos. Poesia absolutamente, enquanto estranha forma de tanto apreender em tão poucas palavras.

Share |

Sentido de Oportunidade

Sem prejuízo da correta aplicação de regras e de contas certas, mas também não descurando se deverá ser Portugal o pioneiro a ser sancionado, isso numa altura em que a Europa está como está e a União Europeia ainda pior, será o timing certo para falar em sanções…como se nunca tivesse havido perdões, durante anos e anos, por défices excessivos?

Share |

CRISPR-Cas9

O Expresso de 9/7/2016, no seu primeiro caderno, dossier Saúde, págs. 20 e 21, tratou uma interessante matéria relativa ao CRISPR-Cas9. Este é um método de editar os nossos genomas e que pode tornar o nosso organismo resistente ou possibilitado a combater doenças como a Sida, cancros como o sarcoma, mieloma, melanoma ou, ainda, doenças de sangue como anemias.

Além disso, mutações nos genes como em cancros da mama ou hereditárias, caso da fibrose quística, poderão ser ‘apagadas’ nos embriões antes da implementação no útero materno.

Este novo método possibilita o design físico e intelectual e a sua transmissão às gerações seguintes.

Estes são alguns aspetos interessantes, mas que inquestionavelmente carecem de serem apreciados de forma séria ao nível, sobretudo, da ética médica.

Share |

O Zé!

Não esquecendo uma personagem que o próprio criou num Congresso do PPD-PSD, nem tão pouco descurando da atualidade, o Prof. Marcelo ainda se arrisca ao cognome de “Zé das Medalhas”.

Share |

Barrigas de Aluguer

O BE diz-se contra o Capitalismo, mas com esta matéria fomenta o negócio.

Share |

Afinal a Final...

Eder foi educado/criado numa daquelas instituições tão criticadas pelas esquerdas aquando do processo de legalização da co-adoção de crianças por gays.
O resultado daquelas supostas obsoletas instituições está à vista.

Share |

WEEK SOUNDZZZzzz!


Share |

sábado, 16 de julho de 2016

Miles Ahead


Share |

Golpe de Estado

Aquilo na Turquia já se sabe se é uma espécie de 28 de Maio ou, inversamente, de 25 Abril?

Share |
Nice…Europe with the same problem once more!

Share |

It MAY work!


Share |

Navegar

«Cantar,

Como quem canta um fado.
Um amor que passou,
Traços de um vento apagado.
Um mundo que acabou,
P´ra não ter de mudar.

Vou cantar,
Nas palavras de um fado.
As trovas que nos diz,
Um rei sem trono nem reinado.
Sem novas nem país,
Por ter de navegar,
Ter de navegar.

Eu vou cantar por quanto passei.
Eu vou cantar porque te encontrei.
Vem navegar para longe no mar.
Há um navio para nos levar ao fim do mar...
Cantar um temporal que se levanta para nos alcançar.
Mas a bandeira azul e branca vai tornar ao mar.
Da cor do teu olhar,
Azul no olhar.»

Sétima Legião, “De Um Tempo Ausente”, 1989.

Share |

A Arménia e o Cristianismo

«A Arménia foi o primeiro país a adoptar o cristianismo como religião estatal, em 301, 12 anos antes de o Império Romano dar aos cristãos liberdade religiosa. No século V, a Igreja Apostólica arménia separou-se de Roma e faz parte das igrejas ortodoxas orientais. Actualmente, existem apenas 280 mil católicos entre os três milhões de habitantes.»

In Público, de 24-6-2016, pág. 22.

Share |

Boys, Girls and Maths



Share |

“The King is Dead, Long Live The King”

Começa a aborrecer-me a comparação entre o King e o CR7.

Sejamos objetivos: o CR7 tem mais currículo e, por isso, apenas por isso, é melhor.

Todavia, podemos ser mais extensivos e tentar perceber o contexto de ambos, bem como os seus respetivos trajetos. É neste específico âmbito que poderá tornar-se mais difícil perceber quem foi o melhor. Mas de que modo?! Pela carreira que tiveram.

Enquanto Ronaldo sai de Portugal, concretamente do Sporting, podendo abraçar uma carreira internacional onde, nos grandes clubes, consegue evoluir; já Eusébio, por outro lado, não teve a mesma possibilidade. O Benfica de então, do Regime, não permitiu essa saída e, consequentemente, a carreira do Pantera Negra foi o que foi…grande mas potencialmente aquém de uma ainda maior.


Share |

WEEK SOUNDZZZzzz!



Temas cantados pelo patinho feio:


Made in Portugal:

Share |

terça-feira, 12 de julho de 2016

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Somos Quem Fomos

Somos quem fomos e, de facto, grandes, festejamos de Norte a Sul do Continente, Ilhas, Angola, Moçambique, Timor e por aí fora d'aquém e d'além mar.

Share |

Rescaldo

Muitos não acreditaram e desdenharam Portugal, interna e externamente. Mas este País é assim, por vezes faz proezas. Éramos menos dotados? Menos capazes? Não tínhamos hipóteses? Talvez.
Momentos antes de Aljubarrota foi parecido.

Share |

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!