Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O "Iberismo" e os "patriotas" de cultura rasa...

O El País designou, e bem, os candidatos portugueses às legislativas de «lusos». De facto, antes de qualquer conceito "ibérico" já existiam os lusitanos. E é isso que somos acima de tudo…lusitanos! Portugueses é apenas uma designação, não menos boa, para lusitanos.

Posto o intróito, e para que se saiba, Portugal é muito mais antigo que Espanha. Logo a nossa cultura, enquanto Nação constituída, é mais antiga do que a espanhola. Portugal, embora pequeno em território, nunca foi tomado pela força por aquele manto de retalhos que mais tarde veio a designar-se por Espanha. Este país vizinho nasce por obra da conjugação de uma quase infinidade de elementos que, por sorte divina, estavam à data alinhados levando o Imperador Carlos V a conseguir criar, no séc. XVI, aquilo que hoje se chama Espanha.

Por isto tudo, é difícil entender o porquê de uns senhores, mui "lusitanos", como são José Saramago, Ricardo Espírito Santo e o nosso (in)dependente Governo da república "zapateriano"…perdão…"socrático", estarem a açambarcar, de forma preocupante e repetitiva, mais explicita ou não, mais contributiva ou não, uma profunda idiotice conceptual designada por "Iberismo", comummente designada por união ibérica entre Portugal e Espanha. De maior consciência, nos valeu a determinação da Dra. Manuel Ferreira Leite que pôs o dedo na ferida e, a bom tempo, colocou alguma ordem nestas trocas e baldrocas que vêm sido seguidas por Portugal em relação a Espanha. Menos bem tem estado, em tão grave matéria, o seu anterior líder de partido, agora presidente da república, o Prof. Aníbal Cavaco Silva. Pelo que espera ele para se manifestar em relação a estes claríssimos atentados à autodeterminação de Portugal em relação a nuestros hermanos ? O que falta para que seja feito um ponto de ordem, pela presidência da república, neste já insistente assunto? Não nos esqueçamos que já não estamos em Monarquia, e que não temos mais um D. João IV para nos salvar…

Aqui ficam os artigos para se reflectir:

Diário de Notícias (José Saramago) 

Público (Ricardo Espírito Santo)
http://economia.publico.pt/noticia.aspx?id=1393685&showComment=1&p=4

El País (Candidatos às legislativas 09)

«La líder de la oposición ha señalado que no le gusta "que los españoles se metan en la política portuguesa" y ha justificado el interés de España por que el tren de alta velocidad llegue a Portugal a que, de ser así, recibirá más fondos de la Unión Europea. Sócrates defiende en cambio las "inversiones en las redes de alta velocidad" para ayudar a superar la crisis y ha criticado que la candidata de la oposición que esté dispuesta a faltar a su palabra con España y a echarse atrás en un proyecto que respaldó cuando era ministra en 2003»

Fonte - http://www.elpais.com/articulo/internacional/AVE/enfrenta/principales/candidatos/legislativas/Portugal/elpepuint/20090913elpepuint_1/Tes
Share |

1 comentário:

  1. Meu amigo, nós somos portugueses há quse 900 anos, e já tivemos como vizinhos leoneses, depois leão e castela, depois castela, depois espanha e finalmento vem com esta palhaçada do iberismo.

    a questão é que nós portugueses não quisemos ser castelhanos no sec XVI e por isso se deu aljubarrota, no séc XVI não quisemos ser espanhóis, o problema é que agora os traidores que nos governam querem fazer de nos ibéricos, para isso andam para ai promover os ditos mundias ibericos a ver se metem isto na cabeça do povo, entre outras maldades, o plano é perfido e tentacular.

    A diferença entre o nome espamha e iberia, é simples a primeira é a designação dada à peninsula pelos romanos a segunda é a dos gregos, mas tanto uma como outra são sinónimo de cultura e lingua castelhana.

    Isto do iberismo é a segunda volta do ataque castelhano a Portugal , ou seja, já no sec XVI quando roubaram o nome espanha o objectivo já era meternos a nos lá dentro, o problema é que nos não quisemos e limpamos o cebo ao miguel de vasconcelos.

    Neste momento temos o miguel de vasconcelos do sec XXI, o sócrates que foi comprado pelos castelhanos para nos empacotar numa federação com sede em madrid, mas eu ainda acredito nos portugueses e vanmos correr com este miguel de vascoincelos,e depois vamos assistir aqui do nosso canto a implosão da espanha quem sabe noutra guerra civil, por mim podiam-se matar todos uns aos outros.

    ResponderEliminar

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!