Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

domingo, 9 de setembro de 2012

Nos EUA: Real Associação de New Jersey e o projecto para Nova Iorque

Um interessantíssimo texto...de quem sabe e gosta (a sério) deste País.

«Ainda o jantar da Real Associação de New Jersey.

Glória de Melo lembrou que o principal objectivo da Real Associação é preservar e divulgar a história e cultura de Portugal. Mostrando preocupação com a abolição do feriado do 1º Dezembro levantou a questão da importância de reviver e relembrar a nossa independência e citou a opinião do Dalai Lama sobre S.A.R.: “o Rei de Portugal poderá não ser um monarca reinante, mas tem a difícil tarefa de manter vivo o espírito cultural da nação e isso é mais importante do que usar uma coroa”.

O Duque de Bragança afirmou ter sempre "um banho de optimismo patriótico e de esperança no futuro de Portugal quando tenho ocasião de visitar as comunidades portuguesas que vivem no estrangeiro e ver a capacidade, o sucesso, a realização que os portugueses conseguem".

Levantou a actual situação crítica de Portugal, em grande parte consequência do facilitismo e curto-termismo da nossa classe política, mais interessada na sua reeleição, que levou o País à falência. “Há tempos perguntaram à rainha da Dinamarca para que serve uma rainha numa democracia tão moderna como é a DInarmarca. Ela respondeu é para proteger o povo dos maus governos”. Assim afirmou uma das vantagens das monarquias modernas. "Há uma vigilância discreta mas eficiente da parte dos reis e rainhas, que não dependem dos grupos políticos, grupos financeiros, de interesses, podem desempenhar o seu papel com outra liberdade."

S.A.R. mostrou a Bandeira da Restauração, de 1640, de grande interesse numa altura em que se está a por em causa a data do 1º de Dezembro. Quanto à bandeira adoptada por D. João II é "uma bandeira que une todos os portugueses. Todos os portugueses podem considerá-la como símbolo de Portugal, como símbolo de unidade nacional”. 

Terminou apelando a uma união espiritual entre os povos lusófonos e as comunidades portuguesas, e deu os parabéns à Real Associação de New Jersey e ao projecto para Nova Iorque, aos quais acrescentamos os nossos.

Viva Portugal!»

Fonte - Causa Real no facebook.

Share |

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!