Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Think Tanks...

A,
Queria, em primeiro lugar, agradecer-lhe o convite para este grupo.
Contudo julgava que me encontrava numa plataforma aberta, sã, democrática e de elevada discussão, mas não foi isso que aqui encontrei, não por sua responsabilidade (como é fáctico e) conforme se pode aferir nos comentários supra. Não tenho tempo, paciência ou sensibilidade educacional para me expor a determinadas pessoas e, especialmente, a determinados comentários.

Não agredi aqui ninguém, no entanto é o que se vê: Escárnio, agressividade infundada, etc, mas, sobretudo, falta de informação sobre o que é a Monarquia Constitucional.
Como, francamente, já não tenho paciência para estar aqui a explicar o que foi no passado, é no presente e seria no futuro uma Monarquia, pois já começam a faltar as forças diárias para o efeito, aconselho, vivamente, que procurem grupos monárquicos para entenderem melhor o que são esses progressistas regimes (Noruega, Holanda, Canadá, etc, etc) cuja informação, felizmente, já vai proliferando nas redes sociais.
Queria também aqui dizer que considero-me um cidadão comum como todos os outros, não tenho privilégios nem nunca os pedi. Tudo o que ganhei, ganhei a meu custo. Trabalho todos os dias para trazer o sustento da minha família, como qualquer outro. A única diferença é que, pela noite dentro, tirando tempo à minha estimada família e saúde a mim, vou tentando trabalhar em prol do meu País por aquilo em que acredito ser o melhor caminho: A Monarquia Constitucional.
Assim, face ao padrão (médio) como fui aqui recebido, mais do mesmo que compõe o tecido generalizado da república, e por aí Portugal vai navegando, nada mais posso dizer senão aquilo que diz o nosso nobre povo: “Quem está mal que se mude”. É o que farei. Vou recolher-me ao meu espaço (onde a A continua ser bem-vinda [vai é apanhar com muita Monarquia…digo-lhe já]), mas aqui não fico nem mais um minuto e saio, sem boa impressão, deste grupo.
Cumprimentos.

Post Scriptum: Estão perfeitamente à vontade para apagar o este meu post.

Caro P, 
A Espanha é uma construção do Imperador Carlos V. Sabe tão bem como qualquer um que aquilo é uma manta de retalhos (Castela, Leão, Aragão, Astúrias, etc, etc).
Em suma: se não fosse a Monarquia, aquilo já estava tudo partido há séculos.
Prefiro olhar para os países que ocupam maioritariamente o top de Desenvolvimento Humano e também de Democracia como: Noruega, Suécia, Holanda, Canadá, Japão, Nova Zelândia...enfim Monarquias.
Por fim, e ao contrário de Espanha, eles estavam todos partidos e pela monarquia uniram-se. Nós fomos dos primeiros Estados unificados do mundo pela nossa Monarquia, e agora é o que se vê com a república...todos partidos, desanimados e uns contra os outros.  

(Dirigido a uma senhora republicana)
Prefiro aguentar um "Rei e rainhas" que dedicam toda a vida aos seus concidadãos, do que estar a pagar dos meus impostos, e com um futuro moribundo para os meus filhos (que estas sucessivas repúblicas em 102 nos deixaram), a vários presidentes (e exs) e primeiras damas (e exs) ao mesmo tempo...fundações deles e outras regalias desmedidas.
Monarquia já e depressa!

(Dirigido a um suposto patriota republicano)
Ri-se e eu choro desta vergonha que é a ré pública e o mal que fez ao patriotismo desta Nação.
Estamos miseráveis, ainda hoje se viu naquela vergonha que foram as comemorações da imposição da república ao povo, e há portugueses que julgam que são e que acham graça... Enfim.
Share |

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!