Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Umas pitadas no "Albergue"...


Em primeiro lugar é de salutar e agradecer ao autor do post, ter submetido à discussão um tema que nunca será indiscutível, isto apesar do Estado regulador, desde Outubro de 1910, o tenha tentado tornar assim.

Relativamente à Rainha Isabel II, posso partilhar uma experiência pessoal (obtida ainda este mês) em Newcastle e Escócia. Tendo convivido com enumeros cidadãos comuns, como eu, é espantosa a alegria e o orgulho que eles me transmitiram da citada Senhora.

O importante para eles não são os bens materiais da Coroa, mas, sobretudo, o facto de saberem que Dela tem um compromisso, não eleitoral, de fidelidade maior com a Nação e com os cidadãos sobre a alçada do Império Inglês (referindo-me à língua...se me permitem).

Mais, também falei com o outro lado...os republicanos ingleses. E ouvi o seguinte comentário: «Eu não sou a favor da Monarquia, mas não posso negar que a Família Real faz entrar divisas espantosas que uma república aqui nunca faria». É de concluir neste aspecto que: racionalmente, e sem prejuízo daquilo que for defensável por cada um, prevalece, ainda assim, a Rainha.

Antes de finalizar gostaria de poder frisar um aspecto. São muitos os anos que venho acompanhando a mentalidade dos britânicos, nas mais diversas expressões societárias: música, teatro, cinema, desporto, etc. De facto, os nossos antigos aliados, são um povo diferente...espantoso mesmo. À entrada ou à saída de um autocarro todos cumprimentam e agradecem o condutor. Mutatis mutandis o mesmo em relação à Rainha. Mas eu, que gosto de Portugal, tenho que me contentar com a História do meu País, mais concretamente até 5-10-1910. Depois disso vieram as repúblicas. Veio a geopolítica "Franca"! Uma nova mentalidade com que não me identifico…!

Posto isto, não seria verdadeiro se não referisse que, percebendo sobretudo os costumes dos ingleses e o respeito pela Rainha, sinto um pontinha de orgulho naquela (idosa) Senhora, pelo menos bem maior que em relação a qualquer chefe de Estado da nossa república (com excepção feita ao General Ramalho Eanes).

Em suma diria o seguinte: entre uma Monarquia e a "nossa" república, gostava apenas de poder ter a liberdade de escolher o regime para a mais alta representação de Estado, pois aquele em que estou inserido foi-me imposto.

Bem haja.
Share |

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!