Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

sábado, 3 de dezembro de 2016

Saladino, O Grande

"Tornou-se célebre entre os cronistas cristãos da época pela sua conduta cavalheiresca" e, apesar de ter sido o maior adversário dos cruzados, "conquistou o respeito de muitos deles, incluindo Ricardo Coração de Leão". Nunca foi uma figura odiada na Europa, antes um exemplo relativamente aos "princípios da cavalaria medieval".
Conquistando Jerusalém, soube ocupar a cidade com a mestria árabe que outrora tanto mérito deu à respetiva cultura. Respeitando as crenças religiosas de todos, os seus símbolos, nunca deixou de ser uma referência no seio da sua própria religião...ainda hoje. Ele foi, por assim dizer, um imperador árabe, porquanto unificou várias fações e tribos.
Um homem poderoso que honrou um islão que era muito mais próximo do verdadeiro do que aquele que, infelizmente, muito ouvimos hoje falar. Saladino, eventualmente, o último rosto de um universo árabe de progresso e avanço que acabaria por estagnar pouco tempo depois do seu desaparecimento.

Fonte complementar - Wk.


Share |

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!