Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

domingo, 5 de setembro de 2021

Ordem Vs Libertinagem

Hoje vendem-nos a liberdade plena, por outras palavras, a libertinagem, para a qual, já não paulatinamente, caminhamos.

A nossa sociedade está, efetivamente, pior que outrora. São prova os diversos desabafos inter geracionais que recebo ou que muitos recebemos.

Enquanto não entendermos que a própria e verdadeira satisfação/realização advém de um sacrifício, de uma regra, enfim de uma construção que tem exigências, todos nós estaremos a caminhar para um abismo societário.

Termino com um exemplo simples: o desporto. Este tem limites, linhas, condutas e regras, uns são individuais, outros são em equipa, sendo que nestes últimos o ego, por assim dizer, deve ser o do grupo. Contudo, e no geral, apesar de todos os sacrifícios, por vezes extremos, que são impostos para mergulhar neste mistério que é o desporto, bem como apesar das vitórias nuns dias, e das derrotas noutros, o prazer de quem se apaixona verdadeiramente por qualquer modalidade, no final, é sempre incomensurável e indestrutível.

Na vida acontece exatamente o mesmo.


Share |

Nós, os presunçosos

Sim, foi do (des)aquecimento global...


Share |

Monarquia = Bem | República = Mal

Ainda restam dúvidas sobre o sentido prejudicial republicano? Desenho? Nos Continentes onde existem Monarquias, normalmente são os países mais desenvolvidos num conjunto de vetores.

«Mohammed Zahir Shah (1914-2007), último rei do Afeganistão de 1933 a 1973. Símbolo de unidade e paz. Recebeu o título de Pai da Nação, que manteve até a sua morte.»



Share |

Rol

Rol do herói Otelo, reconhecido e amnistiado por Mário Soares e pelo seu atual regime abrilesco putrefacto:

Lista de crimes do herói Otelo


Share |

'A arca de não é'

Nuno Rogeiro.
In 'Sábado', pág. 73, 22/7/2021.


Share |

Fiel...sempre

«Fiel a um amor antigo
Acabo sempre por voltar
(...)»

Grupo: Rádio Macau
Tema "Bom dia Lisboa"
Fonte: LyricFind
Compositores: Alexandra Couceiro / Vítor Lucas
Letras de Bom Dia Lisboa © EMI Music Publishing

Share |

Milan Kundera na mouche!

A colocar aqui exemplos da I e da III repúblicas neste âmbito, teria de ficar o dia todo a escrever e não tenho tempo para isso.

Ficam apenas 4 exemplos, nomeadamente:

1 - "Bandeira vermelha e verde". Hello!!!?
2 - "Portugal é uma democracia desde 1910". Hello!!!?
3 - "A república é que implementou a democracia". Hello!!!?
4 - "Ponte 25 de Abril". Hello!!!?

Share |

Not yet, evil ones!

«God is not yet dead»

Obra de Vitezslav Gardavsky, filósofo e mártir checo falecido em 1978.

Share |

Para onde iremos, Senhor?

«(...)
A partir daquele momento, muitos discípulos O abandonaram e não mais andavam com Ele.
Jesus disse aos Doze: "Vós também quereis ir embora?"
Simão Pedro respondeu: "Para onde iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que Tu És o Santo de Deus."»

(Jo 6,60-69):

Share |

Bem-mal

«Haveria muito menos mal no mundo, se o mal não pudesse ser feito sob a aparência do bem.»

Marie von Ebner-Eschenbach, escritora.

Share |

O homem no Desporto

«O homem olímpico não ignora o seu contrário, não foge à sua dor: utiliza-a como instrumento de perfeição.»

Prof. Agostinho da Silva, filósofo português (1906-1994).

Share |

Sugestão do dia

O Paul, o Ringo, o filho do George e um dos filhos do John podiam editar um tema novo em nome dos Beatles.

Share |

SELECTION SOUNDZZZzzz!


Share |

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Altruísmo

Na génese de um monárquico há, em prima racio, um princípio elevado e de altruísmo: confiar o poder no Rei, numa outra pessoa, nunca o querendo para si.

Inversamente o republicano, instruído e iludido pelo republicanismo, e por princípio geral, pode almejar o poder, o poder só para si, não descurando que é uma utopia só ao alcance de alguns, nomeadamente, por via de lóbis, partidos ou ditadura. O cidadão comum nunca lá chegará. Blague objetiva.


Share |

"She represents the best of the Royals"

Casada com o chefe da maçonaria inglesa (atual Grão-Mestre da Grande Loja Unida da Inglaterra) curiosa e contrariamente, Katharine, Duquesa de Kent, em 1994, converteu-se ao Catolicismo, facto que não sucedia, na Família Real, desde 1701.

Este documentário revela a história de uma mulher extraordinária, que desde miúdo habituei-me a gostar quando a via, todos os anos, com toda a sua emanação de luz, entregar os prémios em Wimbledon ao lado do marido, Presidente Honorário do 'All England Lawn Tennis and Croquet Club'. Sempre teve uma especial atenção pelos derrotados e em confortá-los.

Esta mulher, mutatis mutandis, tem algumas semelhanças à vida de São Nuno Álvares Pereira. Acima dos seus graus de nobreza, puseram-se, despidos de títulos, ao dispor da Realeza Suprema, ajudando de corpo e alma os necessitados e, assim, atingir o mais elevado grau da inteligência: a humildade.
Partilhamos a paixão pela música, de resto ela é um ser mais rentável a Deus do que eu, embora procure diariamente superar-me neste âmbito, apesar das minhas enumeras falhas no decurso do Caminho.


Share |

Até os ateus...

Até os ateus estão a perspetivar de forma clara o que o Vaticano (II) não está. Porque será...?

É evidente que todos estes filósofos, apesar de não crentes, estão por bem, percebendo que o Cristianismo não se resume a uma religião, mas sim à grande e verdadeira revolução de humanismo e que foi modelo constante de viragem e progresso societário ocidental.

Estamos a morrer como civilização, seja pela ética ou pelos valores puramente universais

Share |

Criticismo

Quando criticares alguém, mesmo que indiretamente, sê objetivo, concreto e demonstrativo para mais tarde não existir arrependimento ou retratação, sendo as vantagens duas:

1.ª) Podes ser surpreendido, positivamente, por quem criticaste, por via de outras caraterísticas proveitosas desse alguém;
2.ª) Apenas pode resultar numa ampla confirmação e, pior, esse alguém, ainda vai mais negativamente além daquilo que criticaste.

Curiosamente, arrependo-me mais de alguém que elogiei de quem critiquei.

Share |

Amizade (des)encontrada

Por vezes, nuns casos, encontramos a amizade onde sequer imaginávamos possível e, noutros, a perdemos onde nunca contávamos.

Share |

Lema

«A melhor forma de fazer é ser.»

Lao Tzu, filósofo e poeta chinês.

Share |

SELECTION SOUNDZZZzzz!


Share |

Ouvido quando passava perto de uma chafarica

«Se um negro for de direita é branco (para a esquerda).
Se for de esquerda é, efetivamente, negro»

Share |

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

«Depois de Vós, Nós» (El-Rei D. Manuel II de Portugal, 1909)

«Go on, palavras D'El-Rey!» (El-Rei D. Manuel II de Portugal)